publicidade 1200x90
17/04/2016 às 08h54min - Atualizada em 17/04/2016 às 10h32min

Itaipuaçu: Pré-Candidato a Prefeito fica ferido em confusão no 'Minha Casa, Minha Vida'

page

page

Por Romário Barros- Uma confusão na última quinta-feira, dia 14, no Condomínio 'Minha Casa, Minha Vida' de Itaipuaçu envolvendo Thiago Nunes França, Alexandre Bellini, mais conhecido como 'Alexandre Gota' e o Pré-Candidato a Prefeito de Maricá, o empresário Robson Ferreira Giorno (PSL) foi parar na 82ª Delegacia Policial.  Giorno precisou de atendimentos médicos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Inoã. Thiago Nunes França compareceu na Delegacia de Maricá e relatou que estava no Condomínio 'Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu', desde de manhã, a pedido da síndica, para fazer a instalação da iluminação da quadra poliesportiva. Por volta das 15 horas, ele recebeu uma ligação telefônica de uma mulher que se identificou como Adriana e falou que ele não precisaria mais fazer o serviço de iluminação da quadra. Repentinamente, segundo Thiago, entrou na linha a voz de um homem que não se identificou e disse: "SEU LUGAR É NO CEMITÉRIO, ME ESPERA AÍ QUE EU TO CHEGANDO". Cerca de 20 minutos depois chegou um veículo branco em alta velocidade, com um homem que saiu com uma câmera perguntando: "VOCÊ RECEBE DO GOVERNO?" e colocou a câmera no rosto de Thiago. Thiago empurrou a câmera e a câmera caiu no chão. Em seguida, o homem foi direção de Thiago e então entraram em contato corporal, quando o homem tentou agredir Thiago e ele apenas evitou a agressão. Thiago entrou na casa de uma mulher chamada Evelin para evitar a briga e contou que estava sentado no sofá da casa quando o homem voltou, adentrou a residência com um pedaço de madeira para tentar acertar-lo. Thiago segurou a madeira para que não acertasse a sua cabeça, quando a madeira voltou e acertou na cabeça do homem, que foi identificado como Robson Giorno que acabou se ferindo na testa e acabou sendo contido por populares. Ainda segundo Thiago, populares queriam bater em Giorno porque ele adentrou na casa com um pedaço de madeira e havia uma criança na casa. Thiago contou ainda que a guarda patrimonial também foi até o condomínio atrás de Giorno porque o carro estava em alta velocidade e os agentes ajudaram a separar a briga. Thiago disse também que não conhecia Robson. Após passar por atendimento médico na UPA de Inoã, o Pré-Candidato a Prefeito de Maricá, o empresário Robson Ferreira Giorno (PSL) compareceu a Unidade Policial de Maricá para prestar esclarecimentos. Giorno contou que por volta das 11 horas, a sua esposa Simone, recebeu uma ligação comunicando que a aula de zumba, a qual ela iria ajudar a patrocinar, seria suspensa porque a equipe do 'GOTA EM GOTA', que segundo Giorno, "É UMA MILÍCIA QUE ESTÁ SE INSTALANDO NO 'MINHA CASA MINHA VIDA'" , proibiu a realização do evento no condomínio. Após receber a notícia, Giorno se dirigiu para o condomínio acompanhado de mais três mulheres identificadas como Adriana, Daniele e Tamires. Chegando ao local, com sua máquina de filmar em mãos, Giorno foi recebido por Thiago, que na mesma hora tomou a máquina da mão dele e começou a agredi-lo com a máquina e em seguida, quebrou a máquina. Em seguida, uma mulher pegou o cartão de memória da máquina que estava no chão e não devolveu. Em seguida, Giorno e Tamires ligaram para o 190 e logo depois Thiago, agrediu Giorno com socos e chutes na presença de Alexandre Bellini que, segundo Giorno, nenhuma providência tomou. Giorno contou que não reagiu. Giorno disse que Thiago ficou dentro de uma casa enquanto ele estava conversando com pessoas do lado de fora e que ele saiu da casa e o agrediu novamente com socos no rosto. Em razão da injusta agressão, Giorno pegou um pedaço de madeira que estava no chão e partiu para cima de Thiago, próximo à casa. Thiago correu para dentro da casa e Giorno entrou atrás de Thiago acreditando que a casa seria do homem. Logo após, segundo Giorno, também adentraram na residência Alexandre Bellini, conhecido como 'Alexandre Gota', candidato a vereador no município e subsecretário de governo, Pamela e Jonatas e que os três o seguraram para que Thiago pudesse bater mais. De acordo com Giorno, Thiago o segurou e Alexandre o golpeou três vezes com o pedaço de madeira na cabeça. Segundo Giorno, Alexandre falou: "VOU TE HUMILHAR", que teria dito isso, segundo Giorno, pelo fato dele ser pré-candidato a prefeito na cidade. Em seguida, segundo Giorno, Alexandre o levou  para fora da casa e disse: "VOCÊ ESTÁ PRESO" em voz alta, perante todos que estavam assistindo e pediu Thiago para buscar as algemas. Alexandre algemou Giorno enquanto este estava sangrando e o deixou algemado no solo com a cabeça aberta e desmaiado, tendo, em seguida, fugido do local. Cerca de meia hora depois a esposa do Giorno chegou e o conduziu para UPA para atendimento médico. Na Estrada de Itaipuaçu o veículo em que Giorno estava se deparou com uma viatura e pediu socorro, vindo um soldado a abrir a algema. Giorno ressaltou que não conhecia Thiago, Alexandre, Jonatas e Pamela e disse que eles são nomeados da Prefeitura e fazem parte da Equipe Gota em Gota, trabalhando para a suposta ONG no horário comercial. Já Alexandre Gota contou que é policial militar e estava no Condomínio para desenvolver um projeto de capoeira e que quando houve o primeiro contato físico entre Thiago e Giorno estava em outro bloco. Ele disse que viu quando Giorno pegou um pedaço de madeira e entrou na residência. Em seguida, tendo identificado a violação de domicílio, el também entrou na casa e presenciou os homens travando uma luta corporal, ambos segurando o pedaço de madeira. Alexandre contou que viu quando o pedaço de madeira atingiu a cabeça de Giorno por consequência da disputa e que outros populares tentaram separar os dois. Ele contou que levou Giorno par para fora da residência e não era possível conte-lo e então lhe deu voz de prisão e o algemou. Durante a confusão, segundo a Alexandre, a chave da algema caiu no chão e ele foi ao destacamento mais próximo para conseguir outra chave, tendo deixado Giorno sob a guarda de outro policial. Quando retornou soube que Giorno já tinha sido encaminhado para atendimento médico. Ele finalizou dizendo que conhecia Giorno pelo fato dele ser político na cidade e ainda que não sabe porque a briga teria se iniciado. O Delegado Dr. Júlio César Mulatinho, titular da 82ª DP, abriu inquérito para apurar o caso.
ff361769-0797-49c8-82d8-14b0990c869b

ff361769-0797-49c8-82d8-14b0990c869b


Notícias Relacionadas »
Comentários »
publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp