18/05/2018 às 21h11min - Atualizada em 18/05/2018 às 21h11min

Alunos de escola estadual de Maricá planejam reproduzir experiência municipal em horta comunitária


A Horta Pública Municipal do loteamento Manu Manuela continua dando frutos. Desta vez são os alunos da Escola Estadual Elisiário Matta, Centro, que querem implantar projeto semelhante em sua unidade. Nesta terça-feira (15/05) a diretora da União Maricaense dos Estudantes (UMES), Yeza Aguiar, reuniu no Elisiário Matta representantes do grêmio estudantil e da direção da escola, o coordenador de Soberania Alimentar da secretaria de Economia Solidária, Felinto Procópio (Mineirinho) e o agrônomo da Cooperativa de Trabalho em Assessoria a Empresas Sociais em Assentamentos de Reforma Agrária (Cooperar), Anderson Oliveira. A pauta do encontro foi a implantação do projeto. O agrônomo da Cooperar aconselhou primeiro os estudantes realizarem uma visita a horta no Manu Manuela para entender a dinâmica do trabalho a ser realizado na escola e escolher qual melhor forma de plantio, se será através de mandala ou de canteiros retos. “É preciso entender que não será apenas o plantio. Tem todo o trabalho de cuidado da horta mesmo. Entre escolher o local e colher existem várias outras coisas como o que plantar e qual a forma de rega a ser implantado”, comentou. Segundo o aluno Vinicius Bento, 17 anos, a ocupação das áreas de uso coletivo e que não estavam sendo utilizadas foi uma das propostas da chapa vencedora. “Queríamos ocupar estes espaços e deixar nossa escola ainda mais bonita e utilizar o que colhermos na própria escola. Estamos pensando em plantar temperos e chamar todos os alunos”, ressaltou. A diretora do Elisiário Matta, Ana Cristina Torres, acrescentou que a implantação da horta sempre esteve na pauta da escola, mas que o projeto acabava não acontecendo. Segundo ela, com a escolha do grêmio e a ideia das ocupações o projeto começou a sair do papel. “Na realidade este já era um dos projetos da escola. A proposta do grêmio só veio ao encontro da nossa e resolvemos colocar em pratica. Fico feliz com o inicio do grêmio no Elisiário”, disse. Ainda não há uma data para a visita até a horta do Manu Manuela conhecer o projeto. Uma reunião entre direção da escola, grêmio e a secretaria de Economia Solidária definirá coletivamente o melhor dia. O secretário Diego Zeidan acredita que o comprometimento dos alunos e direção da escola em desenvolver uma horta no Elisiário é uma demonstração não só de como ocupar espaços mas de transforma-los em experiências de agroecologia e estimulo à alimentação saudável. “Fico feliz em ver os estudantes empenhados em ocupar estes espaços e criar ambientes coletivos para pensar na agroecologia como opção de oferecer à escola alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos”, finalizou. [gallery columns="2" ids="157233,157234"]
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp