29/08/2018 às 23h27min - Atualizada em 29/08/2018 às 23h27min

Secretaria de Habitação faz audiência pública e apresenta pacote de melhorias para o Bananal


A equipe da Secretaria de Habitação e Assentamentos Humanos da Prefeitura de Maricá promoveu nesta quarta-feira (28/08), na Igreja Pentecostal, uma audiência pública com os moradores da Comunidade do Bananal, distrito de Ponta Negra. De acordo com a secretária da pasta, Rita Rocha, a reunião teve três objetivos principais: apresentar uma proposta de construção de um Centro Comunitário em um terreno do bairro, dar início ao processo de recadastramento dos moradores já titulados para implantação do Programa Endereço Certo e, por último, apresentar o projeto de Melhoria Habitacional para as famílias necessitadas. “No passado fizemos um processo de regularização fundiária aqui no Bananal e hoje estamos retornando para identificar se as demandas foram cumpridas e se há demandas adicionais”, explicou Rita Rocha. “Aqui no Bananal nós conseguimos recuperar um terreno da Prefeitura, no qual, vamos propor aos moradores a construção de um Centro Comunitário. Será um espaço para uso da comunidade e que poderá inclusive abrigar cursos de outras secretarias como, por exemplo, a de Trabalho, e a de Saúde”, completou. “Nessa mesma linha, como em 2017 tivemos a alteração da legislação de regularização fundiária vigente no país inteiro, nós vamos aproveitar para realizar o recadastramento dessas famílias, na verdade é uma adequação da lei. Isso se faz necessário para que elas possam ser beneficiadas com o Projeto Endereço Certo, iniciativa mais recente, além de identificar a existência de beneficiários não titulados. Temos registrados 80 famílias, mas de acordo com o nosso levantamento a comunidade é bem maior que isso”, detalhou. Sobre o projeto de Melhoria Habitacional a secretaria afirmou que 1200 reformas estão em processo de licitação em todo o município. “Essa é uma iniciativa direcionada para quem realmente precisa e não tem condições de reformar sua casa. Aqui para o distrito de Ponta Negra estamos prevendo a realização de 150 reformas e a prioridade é a comunidade do Bananal, preferencialmente as famílias que participarem do processo de recadastramento”, ressaltou. “Esse recadastramento se faz necessário porque algumas famílias mudaram e também porque identificamos que ainda há famílias que não foram tituladas”, frisou Rita Rocha. Para a dona de casa Flávia dos Santos, de 37 anos, moradora do local há 12 anos, é muito bem vindo o retorno da Prefeitura a comunidade do Bananal. “Eu adquiri o meu terreno através da minha sogra. Atualmente moro com meu marido e meus dois filhos”, contou Flávia. “Gostei muito de tudo que foi dito na reunião e fico feliz de ver o interesse da Prefeitura em promover a melhoria do nosso bairro. Referente ao terreno remanescente eu gostaria de ver construído nele um posto de saúde”, sugeriu Flávia. Ainda segundo Rita Rocha somente após ouvir a comunidade e seus anseios será decidido o tipo de investimento que será feito no terreno vazio identificado na Comunidade do Bananal. “Queremos ouvir a comunidade em relação as demandas que não foram implantadas aqui durante o processo de regularização realizado no passado. Precisamos saber se algum serviço ficou pendente”, afirmou. “Aqui na área tem um terreno que ficou vazio. Quando encontramos um terreno de posse em área da prefeitura o nosso dever é buscar recuperar esse terreno para beneficio da comunidade que ali está instalada”, completou. De acordo com Secretaria de Habitação e Assentamentos Humanos Outras reuniões irão acontecer para atender as pessoas que não puderam comparecer nesse primeiro encontro. Posteriormente data e local serão devidamente divulgados.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp