09/03/2018 às 16h24min - Atualizada em 09/03/2018 às 16h24min

'Grito das mulheres' movimenta o Centro de Maricá


Para homenagear as mulheres de Maricá, representantes de diversas secretarias do governo realizaram na última quinta-feira, dia 08/03, o “Grito das Mulheres”, um ato público com diversas atividades gratuitas, sorteio de brindes e instituições convidadas como o MNU e a UNEGRO, na Praça Conselheiro Macedo Soares (Centro). Entre as atividades oferecidas ao público feminino estavam a apresentação de dança cigana feita pelas usuárias da Casa do Idoso Mais Feliz; café da manhã com produtos da agricultura familiar; corte de cabelo, manicure e design de sobrancelhas; orientações e informações sobre os programas sociais; aferição de pressão arterial e glicose; exposição de artesanato das índias da Aldeia do Céu (Itaipuaçu); além das barraquinhas da FeirArte e um breve show da Banda Cult. Rosas vermelhas também foram distribuídas pelo secretário de Agricultura, Pesca e Pecuária, Julio Carolino. “Quando dizemos eu sou mulher e me assumo, estamos dizendo que somos diversas, mas temos que garantir a unidade para seguir na luta e garantir a efetividade das políticas públicas”, explicou a Coordenadora de Políticas para as Mulheres, Luciana Pireda, referindo-se ao slogan da campanha em prol da mulher. “A mulher hoje está mais engajada na luta por identidade, feminilidade e igualdade. Em Maricá, a Terceira Idade participa ativamente com pensamento e ação desta luta, que é de todas nós”, disse a secretária da pasta, Lezirée Figueiredo. “Nós cumprimos com a dupla, a tripla jornada de trabalho. Cuidamos da casa, buscamos filho na creche, levamos para pediatra, damos vacina, levamos para a escola aí temos que ir trabalhar e no trabalho ganhamos menos, mesmo que exerçamos as mesmas funções do homem. Porque o homem é sempre mais valorizado. E quem normalmente é convidado a exercer o cargo de gerência ou chefia. Temos uma responsabilidade muito grande em defesa da democracia e já conquistamos muita coisa, mas temos que lutar pela sustentabilidade da vida, porque somos nós que damos a vida. Simbolicamente neste 08/03 vamos comemorarmos por sermos guerreiras e vitoriosas”, declarou a deputada estadual Rodângela Zeidan. “Primeiramente quero agradecer a Deus, por ter dado uma trégua na chuva. Agradeço a vocês por terem vindo, porque todas temos nossas lutas interiores, nas nossas casas, no trabalho e somos guerreiras sim. A mulher quando chega em casa tem que lavar, passar, cozinhar e mesmo assim, muitas vezes, nem somos valorizadas, mas temos que ter a certeza em nosso coração de que Deus valoriza a gente e esse povo vai valorizar a mulher sim. Beijo em todas vocês”, acrescentou a primeira dama Rosana Horta. Diretora da EMAR, Maria Inez Puccelo falou sobre a importância da homenagem em local público. “Nós sempre lutamos, desde antigamente. Nunca ouve diferença, a mulher competente sempre teve presente em todos os momentos importantes. Então a homenagem é mais do que justa e tinha que ser diária”, refletiu. “A mulher não é uma peça de carne. O homem que a trata na rua, em casa ou onde quer que seja como propriedade dele está equivocado. Vocês tem que se unir e divulgar cada vez mais os fatos que acontecem. Só vocês podem mudar essa situação, não espera por esses canalhas que maltratam vocês em casa e ensinam os filhos a fazer o mesmo com as esposas. Podem contar com a nossa Secretaria de Direitos Humanos”, afirmou João Carlos Lima, o Birigu. Aproveitando para fazer a sobrancelha, Jaqueline Ramos (32 anos), moradora de Bambuí falou: “No dia a dia, a gente acaba não tendo tempo. Eu tenho seis filhos, não tenho condição financeira, então essa é uma boa oportunidade para pessoas como eu. Quando as oportunidades surgem, a gente quer aproveitar e eu tenho que parabenizar todos os profissionais envolvidos nessa iniciativa”. Morador da Barra, Leandro Lima (30 anos) falou sobre a importância da homenagem. “A mulher merece essa homenagem. Apesar de hoje ser um dia especial, na verdade o dia das mulheres é todo dia, porque o que seria de nós homens sem as mulheres? Então nós temos que valorizar”, concluiu. “A Prefeitura está de parabéns por valorizar não só a mulher, mas toda a população de Maricá trazendo vários atrativos para que queiram morar na cidade, porque tem consciência que é dessa população que depende a evolução da cidade. Moro em Ponta Negra há 20 anos e há cinco, estou vendo um progresso realmente, porque os outros 10 anos tudo ficou estagnado. Então tenho que parabenizar os governantes”, garantiu Zulmira Torres de 65 anos.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp