14/12/2016 às 21h42min - Atualizada em 14/12/2016 às 21h42min

Governo e empresas de transporte firmam acordo por Bilhete Único Intermunicipal

screenshot_1

screenshot_1

Um acordo firmado entre o Governo do Rio e empresas de transportes sobre o Bilhete Único Intermunicipal nesta quarta-feira (14) prevê que as operadoras poderão cobrar de passageiros a tarifa cheia caso o estado atrase, em 15 dias, o pagamento de dívida com as concessionárias. No trato, segundo informações da Secretaria estadual de Transportes (Setrans), o Estado do Rio se compromete a pagar para as operadoras R$ 10 milhões até 31 de dezembro de 2016. Nesta quarta, a secretaria informou já ter pago também R$ 10 milhões. Além disso, até o dia 15 de janeiro de 2017, o governo se comprometeu a quitar toda a dívida de 2016 com as concessionárias - mais R$ 21 milhões. O pacto ainda não foi homologado, mas a Setrans espera que seja validado nas próximas 24 horas. O TJ informou que ainda não há nada definido. "A manutenção da operação do Bilhete Único, mesmo no momento mais grave da crise financeira, é a garantia do direito de ir e vir da população utilizando esse benefício", afirmou, em nota, o secretário estadual de Transportes, Rodrigo Vieira. O acordo foi selado durante audiência no Tribunal de Justiça do Rio. Além do secretário, estiveram presentes o procurador-geral do Estado, Leonardo Espíndola e representantes das empresas de transporte público no Rio. O desembargador Alexandre Freitas Câmara, da 2ª Câmara Cível do TJ mediou a reunião. Polêmica envolvendo benefício Nas últimas semanas, o benefício do Bilhete Único estendido à população de outros municípios foi motivo de impasse entre o governo e as empresas. As concessionárias chegaram a divulgar que o serviço seria interrompido alegando que não recebiam o subsídio do governo. Algumas empresas, de fato, chegaram a interromper o desconto nos transportes. Mas, após decisão judicial, ônibus e vans intermunicipais foram obrigados a voltar a conceder o benefício. Segundo a Fetranspor informou à época, o governo devia R$ 17 milhões referente ao serviço.
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp