10/09/2018 às 15h22min - Atualizada em 11/09/2018 às 19h03min

Vereadores protagonizam discussão acalorada na Câmara de Maricá


Por Romário Barros - O vereador Ricardinho Netuno (Patriotas) protagonizou uma discussão acalorada no final da sessão da Câmara de Maricá desta segunda-feira, 10. O parlamentar fez uma denúncia sobre cadeiras e mesas que estariam quebradas dentro de uma escola municipal. O problema é que Ricardinho não falou o nome da escola e os vereadores da base do governo insinuaram que a denúncia poderia ser uma 'fake news'. O vereador Ricardinho subiu na tribuna relatando o caso da existência de cadeiras e mesas quebradas nasala de aula no interior de unidade escolar da rede pública de ensino de Maricá. "É inadmissível que hoje o município rico como o nosso, com tanto dinheiro que nós temos, a Secretária de Educação é uma das que mais recebem o orçamento do município, nós temos ainda que ter jovens estudando nessas condições: Cadeiras e mesas totalmente destruídas, isso eu acho que um absurdo, não pode mais na realidade de Maricá deixar sala de aula nesse nível", disse. Durante a denuncia, Ricardinho preservou a identidade da diretora e o nome da escola. "Eu não vou aqui publicamente falar a escola, mas depois eu passo para a comissão porque eu tenho o carinho muito grande pela diretora e sei que não é irresponsabilidade dela. Ela faz de tudo para que a escola esteja em perfeitas condições, ela ama a escola, se dedica, então quero cobrar aqui da secretaria, da gestão, os responsáveis que podem colocar lá cadeiras e mesas novas, dar qualidade de ensino dos nossos jovens que é isso que a gente precisa", comentou. O vereador Robgol (PT) criticou o afirmação do vereador Ricardinho sobre isenção da responsabilidade da diretora por não ter trocado das carteiras. "Eu gostaria de dizer, que foi dito aqui na tribuna que a diretora desse escola não tem responsabilidade no que aconteceu, tem sim. Porque todo ano, inclusive em 2018 o mobiliário das escolas estão todos renovados, infelizmente existe uma depredação muito grande, não só nas escolas do município como também do estado e nas escolas particulares também e todos nós somos cientes disso. Dizer que a direção não tem culpa, tem sim, porque ela bem remunerada, ela tem a comissão dela por ser diretora. Se a secretária ou secretaria tem essa responsabilidade, a diretora tem também. Não só ela como o corpo docente da escola dela, não vamos exibir de quem tem culpa porque tem que representar. O senhor vir aqui e não falar o nome da escola para proteger, não sei qual é o motivo, eu acho que tem que ser transparente. Você na condição de vereador fiscalizar é corretíssimo mas tem que falar sim para impressa para quem está presente aqui saber aonde foi acontecido isso." O vereador Ricardinho, se defendeu das criticas dizendo que não estava procurando achar culpados e sim solucionar o caso. "Vereador, eu preservei o nome da diretora, não sou obrigado a falar o nome da diretora, ela já solicitou várias vezes a trocar dessas mesas só quem pode trocar é a secretaria por isso estou pedindo a secretaria, não estou pedindo a secretária, a instituição da secretaria de educação do município, que engloba tudo, a administração possa resolver o problema. Porque a diretora não pode comprar a mesa, trocar a mesa dentro da sala, só que pode fazer isso é a secretaria de educação, por isso que eu estou cobrando da secretaria e não da direção da escola. O que a gente quer é que seja solucionado o problema. Eu não estou colocando culpa nem buscando culpado, o que eu estou pedindo é que seja solucionado o problema. Os alunos não pode estar com as mesas destruídas, isso aqui, se o senhor olhar depois, verá que não é de um ano para o outro, não é seis meses, isso aqui está destruído, então assim, é coisa que já passou a validade, tem vida útil o material, então tem que ser trocado, não tem jeito e eu não pedi nada mais do que isso." O vereador Robgol (PT), alegou que as carteiras podem serem novas e que sofreram depredação, porém o número é muito pequeno em comparado a quantidade de carteiras novas. E voltou a atacar o vereador Ricardinho. "Vereador vou te falar, as vezes você pode colocar uma carteira e uma mesa em um dia e no outro, quando você for ver o estado dela é lamentável, te falo isso por experiência própria mas com certeza, eu irei conversar com a secretária. Em um montante de 2 mil, 3 mil carteiras, você ver uma, dois, três ou seis, para mim, isso é o mínimo." E complementou com o ataque. "Ver o que a gente vê em outros municípios, outros estados, mas como sempre, você vai sempre criticar, você não teve a humildade de chegar assim e elogiar que IDEB cresceu." O vereador Dr. Richard (PT), disse que a oposição está atacando sem mostrar provas e que a foto mostrada pode ser de outro lugar. "O vereador fez uma denúncia em questão da educação, mas não indicou a escola, então é mais um denúncia que a oposição faz sem falar aonde está o problema. Então para mim, você está mostrando uma foto ai e a gente precisa identificar qual é a escola que está com problema, não adianta você ia apurar querendo proteger a diretora. Eu quero saber se essa escola é de maricá e ver se a sua fiscalização realmente está correta." Ricardinho debateu as críticas do Dr. Richard. "Eu quero falar com a secretaria de educação, não adianta nada falar com você. Se acha, Vamos lá comigo agora, então vereador!" O vereador Filipe Auni (PSD) disse que preside a comissão da educação juntamento com os vereadores Marcus Bambam e Ismael Breve, que por isso precisaria saber o nome da escola, a foto e nome da diretora para solicitar e averiguar o caso. O vereador Ismael Breve questionou o motivo da diretora não ir direto para a Secretaria de Educação ao invés de ir ao vereador. "Eu não sei porque essa diretora não vai à secretária de educação ou vai até a comissão de educação e relata para que a gente dê a resposta e mas acho a diretora não precisaria usar qualquer vereador uma vez que ela já tem obrigação e direto de ir á secretária e relatar o fato quando não está indo bem." e complementou: "A gente não está aqui para colocar ninguém em xeque, a gente está querendo resolver o problema das cadeiras e ver quanto tempo tem. E eu vou fazer questão agora de ir ao colégio e acho que a secretária vai dizer para a comissão e nós vamos ver quantas cadeiras tem e o que realmente o que houve." O vereador Ricardinho esclareceu que a solicitação partiu de alunos que pediram ajuda e não da diretora. "Só para esclarecer, a diretora não falou nada comigo, quem me pediu ajuda foram os alunos que estudam, eles que estão pedindo ajuda para solucionar o problema. Não foi a diretora que veio me pedir para poder intervir junto a secretaria não. Os alunos que estão dentro de sala de aula que estão pedindo ajuda, então só para esclarecer, pois acho que ficou um mal entendido." Ricardinho também criticou os questionamento dos demais vereadores que segundo ele, estavam complicando ao invés de solucionar o caso. "O que a gente quer aqui é a solução do problema. Parece que vocês querem criar um "sei lá o que", que é tão fácil, tá errado, a cadeira está ruim vamos trocar, pedi e acabou. Esse é o nosso papel, eu como vereador, eu tenho que cobrar e não sou obrigado a passar nada para a comissão não e vou ligar para secretaria e falar para ela o que está acontecendo e pedir solução. Esse é o papel do vereador e de todos nós, mas eu vejo muito blindagem querendo "mas acho que a diretora, "a acho que o quê"... o que importa é resolver o problema, a secretaria de educação agir e deixar condições dignas para que os nossos estudando continuar estudando." O vereador Marcus Bambam criticou a afirmação sobre vereador Ricardinho e questionou a veracidade das carteiras da escola denunciada e exigiu que o vereador falasse o nome da escola. "Só uma colocação, ninguém está brindando ninguém, só que quando você vem a essa casa e você faz uma denúncia dessa, que não deixa de ser uma denúncia, uma cobrança que seja, nós temos que saber aonde que é o local, a gente tem que saber se essa foto, eu respeito a vossa pessoa, mas saber que isso é no nosso município, e será que o senhor não pode falar o nome. Está deixando todos nós e público presente curioso." O vereador Bambam também questionou a responsabilidade da diretora dentro de suas funções. "Vamos a amanhã, a gente prova que isso é mentira. Nós seres humanos somos sujeitos a cometer erro e a diretora não pode está cometendo um erro? A gente pode conseguir resolver. De repente você pode está falando que ela não pode resolver. Olha que absurdo, as crianças te procuraram, vamos apurar os fatos, as crianças procurar o vereador, que poder tem essa diretora? Então existe um erro na Secretaria de Educação e tem que resolver esse problema, se tem uma diretoria e não tem nenhum poder e você vem dizer que a diretora não está errada? Pela amor de Deus, que pulso que tem? Porque o secretário delega as funções para resolver os problemas. São gratificados para isso, agora se chegar o ponto de um aluno tem que procurar o vereador porque a diretora não está resolvendo e você vem me dizer que a diretora não tem responsabilidade sobre isso? Então quando você veio que fazendo a denúncia, você tinha que trazer aqui os memorandos dela, os oficios pedindo a secretaria de educação, já que você tirou o foco, você podia pedir para a diretora os ofícios também" Ricardinho rebateu as acusações do vereador Bambam. "Vamos lá comigo! Então é mais fácil pedir os ofícios do que resolver os problemas? a culpa é da diretora?" O vereador Filipe Auni disse que a comissão de educação pode resolver esse problema mas precisaria do nome da escola. "A gente tem que ter respeito, acho que a gente precisa entender e resolver isso. Então tem condição dessa casa, a gente tem nossas comissões sim, então se vossa excelência quiser nos passar, beleza, mas se não quiser, traz resposta para essa casa também" O vereador Frank Costa também criticou as condutas do vereador Ricardinho e propôs que a comissão fosse até a escola junto com a presença do vereador para solucionar esse caso. "Vereador Ricardinho, existem comissões nessa casa. A função do vereador é fiscalizar, legislar e trazer o problema. Se você depois, eu acho muito importante você passar o nome da escola, não quero nem o nome da diretora para poder a comissão ir lá, o senhor acompanhar a comissão para ver se o fato é verídico, se o fato é verdade, eu acho que o senhor tem que ter mais respeito aqui nessa casa, aqui ninguém blinda ninguém, cada um sabe do que objetivo e casa um sabe do seu papel na casa, só quero mais respeito a essa casa. " Ate o fechamento dessa matéria a Unidade Escolar denunciada por Ricardinho não foi informada. CONFIRA A ÍNTEGRA DA SESSÃO DA CÂMARA NO VÍDEO ABAIXO [gallery columns="2" ids="170474,170476,170477,170478,170479,170480,170481"]
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp