27/11/2018 às 20h43min - Atualizada em 29/11/2018 às 08h25min

Por unanimidade, TSE decide que Quaquá não assume como Deputado Federal


Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral decidiu nesta terça-feira, 27, que o ex-prefeito de Maricá Washington Quaquá (PT) não vai tomar posse como Deputado Federal. Foram sete votos à zero. Quaquá teve sua candidatura indeferida, mas concorreu com recurso. Ele teve suas contas como prefeito de Maricá (RJ) reprovadas em quatro processos no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Ele também foi condenado pelo Tribunal de Justiça (TJ/RJ) por improbidade administrativa em outros quatro processos. Além disso, o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) não apresentou à Justiça Eleitoral todas as certidões necessárias para se candidatar. Quaquá obteve mais de 74 mil votos para Deputado Federal.   QUAQUÁ SE PRONUNCIA O ex-Prefeito de Maricá e atual Presidente do Partido dos Trabalhadores, Washington Quaquá, se pronunciou após ser proibido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de assumir uma cadeira na Câmara Federal. "- Obrigado a todo o povo que me elegeu! Fui eleito com 74 mil votos! Roubaram meu mandato e seu voto, porque dei aumento salarial a servidor! Esse é o Brasil! A mesma IN justiça que condenou Lula e o prendeu sem crime e sem provas, roubou meu mandato, dado pelo voto popular! Não me iludo com a IN justiça brasileira... Não preciso de mandato, nasci na favela, na comunidade do Caramujo, fui prefeito de Maricá por 8 anos e fiz uma verdadeira revolução. Faço política desde os 14 anos e vou continuar na luta", disse.  Quaquá, em seu desabafo, citou Aécio Neves. "Acabei de ser impugnado, minha candidatura pelo TSE. O Aécio, aquele vagabundo, ele teve a candidatura dele confirmada, ele é deputado federal eleito. Eu fui eleito pelo Rio de Janeiro e meus votos acabaram de ser roubados pelo TSE. A justiça brasileira, a mesma que condenou o presidente Lula sem provas é a que deixa o Michel Temer arrebentar com o povo brasileiro", falou. O ex-prefeito de Maricá disse também que nunca confiou na justiça e disse que não queria ser candidato "- Eu nunca confiei na justiça dos ricos e nós vamos ter que fazer política sabendo disso. O Brasil é um país hoje dominados por interesses externos que dominou o judiciário brasileiro. Eu tive o meu mandato hoje cassado, os votos do povo que meu elegeu cassados por um corte de juízes que estão a serviço desses interesses. Eu não tenho medo de fazer política, eu faço política, eu saí da favela e vim fazer política desde os 14 anos, fiz a revolução na minha cidade e continuo na luta, continuo lutando por um Brasil onde a justiça seja justa, onde os juízes seja de fato imparciais, não esse país onde a justiça está a serviço de interesses políticos. Então, estamos juntos, eu estou aqui tranquilíssimo, não preciso de mandato para fazer política e não preciso de mandato para viver e para trabalhar. Eu nem queria de fato ser candidato, fui candidato em respeito a um Brasil que precisa que eu colocasse minha cara na luta", comentou. Quaquá deixou um recado para a população de Maricá. "- Continuo na luta com vocês, com o povo brasileiro, continuo com compromisso lá com Caramujo, na favela que eu nasci, com Maricá, com todos os lugares onde tive voto, quero agradecer muito a vocês pela votação que me deram. Quero dizer aos senhores juízes: Vocês não são o Brasil, o Brasil é o povo e nós vamos retomar a democracia no brasil, organizando o povo para acabar com esse sistema de injustiças, inclusive o sistema judiciário brasileiro e construir um mais democrático, um mais justo, um que atenda os interesses do povo e não das elites", finalizou. Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral decidiu nesta terça-feira, 27, que o ex-prefeito de Maricá Washington Quaquá (PT) não vai tomar posse como Deputado Federal. Foram sete votos à zero. Quaquá teve sua candidatura indeferida, mas concorreu com recurso. Ele teve suas contas como prefeito de Maricá (RJ) reprovadas em quatro processos no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Ele também foi condenado pelo Tribunal de Justiça (TJ/RJ) por improbidade administrativa em outros quatro processos. Além disso, o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) não apresentou à Justiça Eleitoral todas as certidões necessárias para se candidatar. CONFIRA A DECLARAÇÃO DE QUAQUÁ NO VÍDEO ABAIXO CONFIRA A SESSÃO NO VÍDEO ABAIXO REPORTAGEM RELACIONADA https://leisecamarica.com.br/quaqua-se-pronuncia-apos-ser-proibido-pelo-tse-de-assumir-como-deputado-federal/
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp